sábado, 16 de junho de 2012

"Nada não. Eu só gosto de fazer polêmica."

"Nada não. Eu só gosto de fazer polêmica."

Recentemente tive um papo com uns amigos sobre um certo humorista (ou pelo menos assim ele se denomina), que após fazer várias piadas agressivas e sem graça, resolveu se por de vítima da sociedade feia e má que não entendeu suas brincadeiras, ao invés de admitir que errou na dose e se desculpar com seu público.

Esse papo me lembrou de uma colega de faculdade que adorava fazer uns comentários e contar umas histórias completamente fora do contexto das discussões rolando na aula. Particularmente ele adorava contar uma história que, segundo ela, era uma crítica a falta de solidariedade humana nos dias de hoje. Depois de ouvir a tal história umas 20 vezes, sendo usada em meio as mais variadas discussões, um certo chato (esse que vos escreve) resolveu perguntar "Fulana, mas o que isso tem a ver com o assunto aqui?" e a resposta dela foi (mais de uma vez, porque eu sou brasileiro e não desisto): "Nada não. Eu só gosto de fazer polêmica."

E ela realmente fazia. Pois a discussão se perdia e todos se voltavam para comentar a história dela. O mais incrível é que ninguém percebia o fato dela já ter contado a mesma história sei lá quantas vezes. E eu, ao questionar a relevância da mesma é que era considerado o chato.

Agora, você pode me perguntar (como eu fiz a tal fulana), Sandro, o que isso tem a ver com o humorista do primeiro parágrafo? TUDO! As duas pessoas não têm o que acrescentar então resolvem gerar polêmicas. Por que? Porque vende! Porque atrai atenção! E o que essas pessoas querem, não é gerar polêmicas, mas sim ter atenção.

E dá-lhe humoristas que fazem piadas sem graça com estupro e deficientes, modelos popozudas raspando o cabelo em rede nacional, apresentadoras de audiência descendente fazendo revelações bombásticas, atrizes de habilidade duvidosa que se deixam fotografar sem calcinha, seguindo a máxima de um velho ex-presidente "Falem mal, mas falem de mim". E tudo isso estoura na mídia. E estoura porque nós consumimos isso! Um monte de baboseira que não nos acrescenta me nada mas nós ficamos ávidos por mais e mais. E quando digo "nós" não estou de maneira alguma me isentando da minha responsabilidade nesse circo dos horrores. Tanto é que eu tenho certeza de você ter identificado a maioria das pessoas citadas aqui sem muito esforço.

Então taí, eu também resolvi fazer polêmica... espero que tenha conseguido com um pouco mais de conteúdo para sua reflexão, pois esse era o objetivo.

Nenhum comentário: