sexta-feira, 6 de julho de 2012

Suspense, Terror e Horror




Existe muita confusão a respeito destes três gêneros literários, então resolvi escrever um pouco sobre a minha visão deles. Apesar de parecidos, a principal diferença entre uma história de suspense, terror ou horror, é o sentimento que a história visa promover em quem a lê.

Praticamente toda a história tem um pouco de suspense. A antecipação do que está por vir, um gancho levando a um conflito, sua resolução (ou a tentativa de resolução) levando à outro gancho, e assim por diante. Isso é porque o sentimento primordial do suspense é a ansiedade, a expectativa do que está por vir.

As histórias que rotulamos como suspenses são, na maioria, histórias de outros gêneros, tais como mistério e terror, mas onde esta ansiedade se torna mais importante do que qualquer outro sentimento que ela possa vir a despertar.

Já as histórias de terror visam instigar não apenas a ansiedade, mas o medo. Há até mesmo estudos que relacionam certos elementos das histórias de terror com alguns medos mais primordiais do ser humano, como uma ligação entre zumbis e nosso medo da morte. As boas histórias de terror nos colocam diante de nossos medos, nos permitindo encará-los e, talvez, até enfrentá-los.

Mas o horror não lida com o medo também? Sim! Mas as histórias de horror focam em um medo específico, talvez o medo mais primordial do ser humano: o medo do desconhecido. Ao fazer isso, estas histórias provocam um outro tipo de sentimento, a angústia. Uma história de horror trabalha com a busca de sentido no universo, e nos nega este sentido, deixando apenas pistas que nem sempre se encaixam completamente, ou trabalhando com uma lógica tão alienígena que desafia a nossa razão.

Cabe ao escritor decidir qual sentimento ele deseja provocar em seu leitor quando elabora sua história.

Um comentário:

Karen Alvares disse...

Ótima postagem, Sandro! Concordo plenamente. Toda boa história tem suspense, mesmo que seja um livro romântico. A ansiedade é importante para manter o leitor preso à história.