terça-feira, 18 de setembro de 2012

Razão Total


Outro dia, em um almoço entre amigos, discutiamos sobre religião e as diferenças entre diversas crenças e igrejas. No meio do papo, que estava até bastante descontraído, apesar da seriedade do tema, alguém joga a seguinte frase:

"- Razão total é uma coisa que ninguém tem."

A maioria das pessoas concordou, mas eu, ao ouvir aquilo, com o humor afiadíssimo que me é característico tive um surto criativo e mandei uma piada hilariante, aproveitando o gancho que foi oferecido.

"- Claro que tem razão total! Um sobre um. Dois sobre dois. Etc, etc, etc."

Aposto que você, meu leitor, está se escangalhando de tanto rir ao ler isso, não é? Afinal, razão total, um número sobre si mesmo é igual a um, sacaram?

Pois é, eu sei que a piada foi horrível, aliás eu já sabia antes mesmo de pronunciá-la, e se ainda me restava alguma dúvida, a cara dos meus colegas diante dela, nem mesmo um sorrisinho, atestava o quanto ela era sem graça. Para completar, meu sobrinho pós-adolescente colocou a última pá de cal em quaisquer devaneios que eu tivesse de me tornar um astro do stand up comedy:

"- Tá ligado que essa piada foi horrível, né tio?"

Sonhos perdidos à parte, fiquei com isso na cabeça, e comecei a pensar no sentido da minha piada nem um pouco engraçada. Fazendo uma relação entre "razão total" e o fato de, matematicamente, ela só ser conseguida quando se tem dois números iguais um sobre o outro.Será que minha colocação foi tão sem noção assim? Sem graça, eu concordo, mas sem noção, eu não sei.

Pois é exatamente o que acontece com os grupos que defendem uma única forma de pensar, são formados por pessoas que pensam sempre iguais, a ponto de um confirmar o outro, e todos acreditam piamente serem detentores de uma "razão total", e menosprezam (ou até atacam) qualquer forma diferente de ser, pois isso perturbaria a sua equação perfeita.

Claro que estar com pessoas que concordam conosco é bom. Nos confirma e dá força para continuar nosso caminho, mas às vezes também é bom trocar com quem discorda de nós, quem nos provoca, nos questiona, nos faz pensar ou sentir coisas que nem imaginávamos existir.

Essas pessoas nos acrescentam, subtraem, multiplicam, potencializam.

Afinal, não é só de razão que vive a matemática, e nem a vida.

Um comentário:

Colombina disse...

EU RI DESSA PIADA!
E curti o questionamento filosófico também. Taí: matemática também é engraçada. Principalmente quando não está no meio matemático...
Encontrei seu blog depois que você comentou na Estante Mágica que a invenção mais importante é a linguagem. O pessoal lá tá viajando depois do meu comentário sobre filosofia... bem divertido.
Também escrevo, mas não tenho pretensão de seguir carreira ou ser famosa. Porque literatura também é arte, e arte foi criada pra gente se expressar. Dá uma lida no Abobrinhas Verdes quando puder:
www.abobrinhasverdes.blogspot.com