quinta-feira, 21 de março de 2013

As Virtudes do Escritor


Abaixo eu descrevo, em ordem decrescente de importância, aquelas que eu considero como as mais importantes virtudes para um escritor. São estas que eu procuro fortalecer em meu trabalho e agora compartilho com vocês.

5) Disciplina

Esta é a mais valorizada das virtudes necessárias para o bom escritor por muitos, mas para mim é a menos importante. Não é que ela não seja importante, mas disciplina sem as outras virtudes expostas acima ela se torna prisão, auto-flagelo, punição.

Para desenvolver essa virtude, fica a frase do mestre Stephen King: "O escritor precisa entender que isso é apenas um trabalho, como limpar o chão ou lavar pratos.", mas ele completa: "mas também tenha em mente que é o melhor trabalho do mundo!"

4) Perseverança

Siga em frente... se não der pra ir em frente, vai pro lado, pra cima, pra baixo, pra onde raios você quiser ir, mas continue!

Neil Gaiman, outro mestre da literatura e um dos meus ídolos disse em um discurso para a Universidade de Artes: "Continue fazendo boa arte. Quando você tiver sucesso, continue fazendo boa arte. Quando os tempos ruins vierem, e eles virão, continue fazendo boa arte."


3) Auto-Perdão

Elizabeth Gilbert, autora dos best sellers "comer, rezar, amar" e "Comprometida" disse em uma entrevista que ela considera esta como a mais importante virtude de um escritor. Para mim, ela é a mais importante para que a disciplina não vire uma prisão.

Quando você se propor a escrever todos os dias, e não fizer, perdoe-se! Quando você disser que você vai escrever trocentas páginas hoje e não conseguir, perdoe-se! Quando o seu texto não ficar tão bom quanto você tinha imaginado, perdoe-se!

Senão você irá se aprisionar em recriminações, críticas e auto-exigências, e é isso que chamamos de "bloqueio de escritor".

2) Mentira

Não basta ao escritor ser criativo, ele tem que ser tão convincente quanto um bom mentiroso a ponto de fazer seu leitor acreditar, pelo menos enquanto lê, que aquilo que está escrito é real. Não importa ser verossímil  ou você acha verossímil uma história de um garoto órfão que descobre ser bruxo ou um triângulo amoroso entre uma garota, um vampiro e um lobisomem?

Por fim, a maior mentira que um escritor precisa aprender a contar é para si mesmo. Quando ele se perde em seu texto, é preciso dizer "eu sei pra onde a história vai" e escrever a próxima palavra, apenas uma palavra. E esta palavra se transforma em frase, a frase se torna parágrafo, o parágrafo cresce como cena e capítulo, e quando você menos espera você descobre que a sua mentira era verdade.

1) Amor

Acima de tudo, um escritor é um contador de histórias, se você não tiver amor pelas histórias, você nunca será um bom escritor.

Imagine que você ganhou na megasena, ou outro prêmio similar, e nunca mais terá que trabalhar na vida para se sustentar. O que você fará de hoje até o fim da sua vida?

Se a palavra "escrever" não apareceu na sua mente como um grito de um náufrago desesperado por ar... talvez você deva pensar em outra coisa para a sua vida.

2 comentários:

Ana disse...

Muito legal, Sandro, são qualidades que a gente tem de adquirir!

Lucia disse...

Acho que pode-se generalizar isso para qualquer ato de criação, não só a de um texto.