quinta-feira, 1 de agosto de 2013

FORA CABRAL!... E o resto?



As manifestações populares que começaram a quase dois meses começaram a ganhar, ao menos aqui no Rio de Janeiro, uma polarização. O grito de ordem, com poucas variações, se transformou em "Fora Cabral!" mobilizando-se contra o governador Sérgio Cabral, principalmente após o uso de força excessiva pela polícia militar e as evidências do uso de policiais militares infiltrados para realizar atos de vandalismo que justifiquem essa força excessiva.

Para mim fica a questão: E o resto?

Quando essas manifestações começaram, o mote principal era a questão do aumento das passagens de transportes públicos, mas essa era apenas a ponta do iceberg, haviam reinvidicações de melhoras neste mesmo serviço, pedidos de maiores investimentos na educação e saúde, abandonadas a vários governos e hoje quase sucateadas, haviam denúncias de desvios de verbas, abuso de dinheiro público, UPAs que só funcionavam na propaganda do governo. Onde tudo isso foi parar?

Por todo o país, onde as manifestações estavam perdendo um pouco do gás, novas manifestações surgiram em apoio às cariocas e o grito "Fora Cabral!" começou a ser ouvido além das fronteiras. Em São Paulo ele se uniu ao "Fora Alckmin" e "Fora Haddad", respectivamente governador e prefeito de lá, que são opositores políticos. Em outros lugares gritos similares começam a ser ouvidos junto com "Fora Cabral", o que demonstra que a insatisfação popular não é contra uma pessoa ou partido, mas contra todo um sistema que estimula e valoriza a corrupção e ignora as necessidades da população.

Mas minha preocupação é que este foco do "Fora..." não acabe sendo benéfico a este sistema e, novamente vejamos mortes (possivelmente por suicídios duvidosos) e impeachments de bodes expiatórios (que de nada adiantarão pois os retirados voltarão anos depois se fazendo de vítimas) mostrando que em 20 anos não aprendemos nada com o caso Collor.


Nenhum comentário: