segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Crônica - Super-Homem




Está história aconteceu no fim do século passado (e é engraçado pensar que isso já significa que faz mais de 14 anos), quando eu fazia os primeiros períodos da faculdade de filosofia na UERJ. Durante a aula de lógica clássica, a professora explicava que ninguém é dono da verdade em resposta a um comentário idiota de um colega de turma, e para reforçar o argumento ela disse:


“Não adianta tentar ser o super-homem.”


Ao que um cara do meu lado (o mesmo do comentário idiota acima) comentou, enchendo a boca: “A senhora está falando do super-homem de Nietzche?”


“Não! Estou falando do super-homem, super-homem.”


Nessa hora eu intervim: “Ela está falando do super-homem de Joe Shuster e Jerry Siegel.”


Momento de silêncio. Todos se voltam para mim. A professora me pergunta: “Ahn?”


“Joe Shuster e Jerry Siegel. Sabe, os criadores do super-homem. Aquele com S no peito e capa vermelha.”


“Isso! É desse aí que eu estava falando.” e continuou a dar sua aula.


Como é bom ser nerd. :)

Nenhum comentário: