quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Terá a cultura e a educação no Brasil se tornado "cara e ineficiente"?

06/07/2010
Sérgio Cabral tirou nota ZERO na educação, e o Rio de Janeiro tem o segundo pior desempenho do Ideb
http://www.guiasulfluminense.com.br/blog/?p=15746

01/06/2010
Governo Lula corta R$ 1,28 bilhão da Educação
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/governo-lula-corta-r-128-bilhao-da-educacao/

04/08/2010
Bomba: TV Cultura vai cortar programas e demitir até 1.400
http://noticias.r7.com/blogs/daniel-castro/2010/08/04/bomba-tv-cultura-vai-cortar-programas-e-demitir-1-400/

Alguem mais percebe um padrão aqui?

Eu REALMENTE preciso falar mais alguma coisa?

Sem mais por hoje, apenas questões e reflexões para quem quiser pensar...

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

A Incerteza dá Angústia

"Existem milhões de "se" na mente de um homem, nenhum em suas ações."
- Amanhecer Esmeralda

"Coragem não é a ausência do medo, mas a capacidade de seguir em frente, apesar do medo."
- Atribuído a Napoleâo Bonaparte

Anteontem, pouco depois de postar aqui no blog, um amigo comentou sobre o meu post (Escolhas e Expectativas) com a frase que entitula este post (que eu estou usando com a permissão dele, é claro). A frase ficou martelando na minha cabeça esses dois dias e tenho que concordar com ela. A incerteza, o não-saber, causa angústia, medo, apreensão, ansiedade... Mas como seria um mundo sem incerteza?

Comecei a me imaginar em um mundo onde eu soubesse o desvelar de cada escolha. Onde eu soubesse o que eu iria conseguir, e o que eu não conseguiria não importa quanto eu tentasse. Não sei se você que está lendo isso também está fazendo esse pequeno exercício existencial, mas pelo menos eu senti uma enorme angústia ao fazê-lo.

Nesse caso, a angústia veio do tédio que uma realidade assim traria. Não haveria mais a emoção de conquistar algo, simplesmente porque já se saberia ter conquistado antes mesmo de se iniciar. Também não haveria decepção por tentar algo que já saberíamos de antemão que daria errado... mas também não haveria a esperança para fazer assim mesmo.

Hoje, caminhando na rua após a chuva, vi várias pessoas (acredito que cerca de metade delas, mais ou menos) ainda tinham seus guarda-chuvas abertos, mas não estava mais chovendo. Só que elas não tinham como saber, pois estavam embaixo dos seus guarda-chuvas. Percebem a contradição aqui? Nos protegemos do mundo porque ele nos ameaça, nos fere, nos angústia, mas só saberemos se a ameaça se foi se nos abrirmos ao mundo. Se pelo menos por um instante nos permitirmos sair do guarda-chuva e corrermos o risco de nos molhar.

O que torna os humanos, humanos, é esse não saber, esse desconhecimento ativo de para onde as coisas vão e ainda assim... ir em direção as coisas.

Pelo menos em minha opinião...Mas quem sou eu pra ter certeza?

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Escolhas e Expectativas

"Expect for the worse, hope for the best"
- Ditado Estadonunidense (ou norte-americano. rs)
Em uma tradução livre:
"Tenha expectativas pelo pior, mas tenha esperanças pelo melhor."

"Se as coisas são inatingíveis... ora!
não é motivo para não quere-las...
Que tristes os caminhos, se não fora
a magica presença das estrelas!"
- Mário Quintana, Das Utopias

Como coloquei anteriormente, me propus a escrever um post por dia para o blog, e estava ontem pensando sobre o que escrever. Tinha várias idéias, mas precisava escolher uma, e foi quando me veio a idéia brilhante: que tal falar sobre escolhas?

Passei o dia de hoje refletindo sobre este tema, e sobre como poderia abordá-lo, mas todas as formas que me vinham me pareciam muito "lugar comum". Falar sobre a importância das escolhas? Sobre a responsabilidade de nossas escolhas e de aceitarmos as consequências? Sobre como é necessário escolher diariamente para conseguir um objetivo? Tudo isso me parecia tão batido, até por mim mesmo, seja aqui no blog, seja em outras encarnações que este blog já teve.

Pensei até em abandonar até em abandonar o tema das escolhas e simplesmente resgatar um texto das tais encarnações anteriores do blog e postar aqui como "tapa buraco". "Só por hoje" eu me dizia.

Conversando com algumas amigas hoje, me dei conta de que tudo isto podia ser uma certa auto-sabotagem. E daí se o texto era lugar comum? E daí que não ficasse bom? E daí?

E daí que a ansiedade por querermos que o mundo seja perfeito as vezes nos domina. A ansiedade, como tudo mais no Universo, pode ser boa ou ruim. A ansiedade que sentimos diante de uma conquista, ou de um presente, ou do reencontro com alguem querido é algo fantástico. É essa ansiedade, essa esperança, esse não-saber, que nos permite maravilharmos diante do mundo.

Quando crianças o mundo é uma grande aventura, cada dia uma surpresa, um mistério, mas quando nos tornamos adultos vamos perdendo isso. Deixamos de ter esperanças e passamos a ter expectativas, e é aí que a ansiedade deixa de ser algo bom e se torna algo ruim.

Passamos ter expectativas pelo nosso emprego, nossos relacionamentos, nossos amigos. Criamos em nossa mente como as coisas devem ser para sermos felizes, como se pudessemos ser diretores de nossas vidas. E quando a vida não atende a nossas expectativas, vem o sofrimento, a decepção, a tristeza.

Não podemos ser diretores de nossas vidas. Para os que acreditam, como eu, em uma força maior, esse trabalho já foi tomado. Mas podemos nos tornar protagonistas de nossas vidas. Para isso é preciso lidar com a vida como ela é, e não como desejamos ou tememos que ela seja. Só assim é possível atuar em nossas vidas.

Não se trata de abandonarmos nossos sonhos, até porque são eles o nosso combustível para a vida, mas se temos a esperança de torná-los reais, isso só será possível se estivermos com os pés no chão, diante da realidade.

Bom, este é o meu post por hoje. E quanto ao tema das escolhas? Escolhi deixá-lo para outro dia. rs Tenham esperança de que ele vai aparecer no momento devido.

PS: Ainda tinha expectativas de tornar este texto melhor, mas escolhi postá-lo assim mesmo, para não dar chance a auto-sabotagem. rs

domingo, 1 de agosto de 2010

31 dias, 31 posts

"Uma longa jornada começa pelo primeiro passo." - Provérbio Chinês

Nos últimos tempos não tenho dado atenção a este blog, e não porque eu não tenha o que falar aqui, apenas me falta o tempo (ou a disciplina, ou a programação) para escrever e postar.

Tem cerca de 2 meses que eu não escrevo aqui e a última vez foi um texto que nem era meu.

Pensando nisso resolvi fazer uma experiência ao longo do mês de agosto, aproveitando que eu vou ter um pouquinho mais de tempo neste mês do que tive nos últimos. A experiência é tentar postar todos os dias ao menos um post, por mais curto ou imperfeito que ele seja, apenas soltar minhas idéias nas ondas virtuais.

Não sei se meus incríveis 11 seguidores (os 2 que são eu mesmo incluídos rs) terão paciência para aguentar meus textos diários, mas em todas as encarnações anteriores do meu blog eu sempre escrevi para mim em primeiro lugar, pois sempre pensei que eu sou a primeira pessoa que tem que ficar feliz com algo que eu faça, só assim essa felicidade poderia se expandir e ressoar em outras pessoas e algumas vezes ecoar em comentários (favoráveis ou não). Mas em algum ponto do percurso eu me tornei muito perfeccionista e isso acabou bloqueando minha escrita.

Tenho várias idéias de textos para postar aqui, agora é botar mãos a obra e escrever.

Espero ter companhia nessa jornada...