domingo, 5 de setembro de 2010

Construindo Caminhos

Construindo Caminhos

"Não há maior sinal de loucura do que fazer uma coisa repetidamente e esperar a cada vez um resultado diferente."
- Albert Einstein

Estou escrevendo este texto pelo cel. Isso mesmo, na base do clic-clic-clic. Pensei nisso após uma rápida conversa agora a pouco com um amigo sobre a relação inspiração/tempo para escrever.

Assim que tive a idéia, pensei logo na dificuldade que seria escrever nesse tecladinho, catando cada letra, depois descobri que não teria como transferir o texto direto do celular para o computador (meu celular não é um desses"computadores de bolso", mas me serve bem), então teria que transcrever tudo depois. Mas ora bolas, eu não teria que fazer o mesmo se escrevesse no papel?

Ao me dar conta disso, percebi o quanto é mais fácil irmos para as dificuldades de fazer algo, do que efetivamente fazer algo. Resolvi tentar.

***

Criamos mil fantasias em como as coisas podem dar errado. Neste momento, tento fugir deste texto. Começo a vagar (e faço um esforço para não me dissociar dizendo "minha mente vagueia", como se minha mente não fizesse parte de mim) por vários outros textos que quero escrever, que seriam "mais merecedores" da minha atenção.

Incríveis os mecanismos de auto-sabotagem que usamos, não? Ao gastarmos tanta energia criando bloqueios, não é de se estranhar que tenhamos tanta dificuldade em encontrar caminhos.

E vejam só! Não é que um belo texto se formou desta experiência? :-)

***

Neste momento terminei de transcrever o texto acima, que foi escrito no caminho para o trabalho ontem dentro do metro, entre a zona norte e a zona sul do rio de janeiro em uma viagem de pouco mais de uma hora.

Me percebi pensando que o texto é bobo, incompleto, e outras sensações de menosprezo me passaram enquanto o transcrevia. Ao me dar conta destes sentimentos e olhar para eles, vejo-os se desfazer como castelos de areia diante das ondas do concientizar, do dar-se conta...